CRÉDITO IMOBILIÁRIO

Medida deve estimular economia a curto prazo

Modalidade de financiamento habitacional anunciada pela Caixa terá atualização dos contratos conforme percentual do IPCA. Novas regras entram em vigor a partir de segunda-feira

Por

Medida deve estimular economia a curto prazo

Com parte de suas regras antecipadas há uma semana, a nova linha de financiamento habitacional da Caixa Econômica Federal foi lançada oficialmente nessa terça-feira. A nova modalidade terá atualização dos contratos vinculada ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), que deve fechar em 3,76% neste ano.
A novidade na contratação de crédito imobiliário foi regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional e seu enquadramento foi ampliado para financiamentos de imóveis residenciais no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI).
Esta linha, entretanto, não substitui as contratações que têm a taxa referencial como base. A medida, segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, representa uma revolução no mercado imobiliário e vai impactar diretamente na economia do país.
A taxa mínima para financiamento de imóveis nesta modalidade será de IPCA + 2,95% ao ano, enquanto a taxa máxima será de IPCA +4,95%. As novas regras estarão valendo a partir de segunda-feira, 26.
05_AHORA
Especialistas acreditam que a nova linha da Caixa deve estimular outros bancos a reduzirem suas taxas de juros. O banco estatal detém cerca de 70% do crédito habitacional do país.

Impacto no curto prazo

No Vale do Taquari, as expectativas são altas. Para o corretor de imóveis Mateus Pedó, a nova linha do crédito imobiliário terá efeito imediato no setor. “A curto prazo, certamente vai movimentar e muito a economia. Creio que muitas pessoas vão aderir a esse modelo com juros mais baixos”, estima.
Opinião compartilhada por Guilherme Arenhart, também corretor de imóveis. Conforme ele, as taxas de juros mais acessíveis vão incentivar pessoas que antes estavam resistindo a financiamentos. “Acredito que isso seja um estímulo. O juro é um fator definitivo para quem quer comprar um imóvel. Estando baixo, vai mexer com o mercado”, salienta.
O ramo da construção civil, responsável por quase 7% do Produto Interno Bruto do País (PIB), é outro que deve ter impacto direto com o novo crédito imobiliário. “O juro ficou bem interessante e será bem mais acessível para os clientes”, comenta o empresário Roberto Jachetti, avaliando que, apesar da estagnação econômica no país, o setor segue prestigiado na região.

Orientações e alerta

O fato da taxa do novo crédito habitacional da Caixa ser vinculada ao IPCA exigirá que os clientes tenham atenção na hora de assinar o contrato de financiamento, já que podem acontecer oscilações. Se a inflação voltar a crescer, por exemplo, a taxa fica maior e as prestações podem assustar o consumidor.
“Nós fomos alertados sobre isso pela Caixa. Como corretores de imóveis, somos intermediadores do mercado imobiliário. Por isso, também devemos deixar isso claro para o consumidor. A taxa é uma hoje e pode ser outra daqui 2, 3 anos”, lembra Mateus Pedó.
05_AHORA2
A Caixa disponibilizou, em seu site, um espaço para clientes simularem um financiamento nas condições atuais e também com a nova modalidade. Para isso, é necessário informar dados como o valor do imóvel, a renda mensal bruta e a cidade onde reside.

MATEUS SOUZA – mateus@jornalahora.inf.br

bravo