opinião

Caetano Pretto

Caetano Pretto

Jornalista

Colunista esportivo.

Primeiro clássico de muitos no ano

Por

O Gre-Nal deste sábado pode ser o primeiro de um ano repleto de clássicos. Só no Gauchão, serão ao menos dois e no máximo cinco. Na Libertadores, caso o Inter chegue na fase de grupos, serão ao menos mais dois clássicos. Imaginemos que os dois avancem e se cruzem num mata-mata, seriam mais dois. No Campeonato Brasileiro, turno e returno. Ainda há a chance de as equipes se encontrarem na Copa do Brasil. Totalizando uma possibilidade de 13 disputam entre Inter e Grêmio no ano. Calculando de forma realista, sem as possíveis eliminatórias de Libertadores e Copa do Brasil, serão disputados de 7 a 9 clássicos no ano. Haja coração no Rio Grande do Sul.


Santos é o time que mais usa a base no Brasil

Um estudo da Pluri Consultoria apontou os times que mais usaram jogadores da base no futebol brasileiro nos últimos cinco anos. Segundo a pesquisa, o time que mais utiliza a base é o Santos, com 39,6% do tempo de jogo sendo disputado por seus atletas da base. Entre a dupla Gre-Nal houve praticamente um empate técnico, com leve vantagem do Internacional. O percentual de minutos jogados por atletas da base do Inter foi de 24,4%. Enquanto que o do Grêmio foi de 23,5%.


A discussão sobre os volantes no Inter

O Inter avançou de fase e superou o primeiro desafio do ano ao eliminar a Universidad de Chile. No entanto, a classificação colorada quase ficou em segundo plano frente a uma discussão que iniciou antes da partida em Santiago, e ainda não terminou. Estaria Coudet escalando quatro volantes?

A resposta é não, não está. Olhando friamente para os jogadores e suas posições de origem, até pode parecer que são quatro volantes, mas não são. O futebol vive uma constante evolução. Técnicas e nomenclaturas usuais no passado deixam de ser atuais. O conceito de volante é uma delas. Não cabe mais analisar apenas o nome da posição, e sim suas funções.

O Inter esteve longe de ser escalado com quatro volantes, uma vez que Edenilson e Patrick jogaram nas extremas, Lindoso atuou como meia-central, e apenas Musto jogou à frente da área defensiva, este sim como um antigo volante.


Derrota após 154 lutas

Caiu uma das maiores invencibilidades do mundo esportivo. O judoca francês Teddy Riner, de 30 anos, perdeu uma luta após quase 10 anos sem derrota. O feito aconteceu em casa, no Grand Slam de Paris. Riner foi derrotado pelo japonês Kokoro Kageura. Bicampeão olímpico e dez vezes campeão mundial, o francês acumulava 154 lutas de invencibilidade.

bravo